10 Dicas para telefonista de como atender o telefone

Um bom Atendimento telefônico ao cliente é o que faz a diferença, afinal de contas é a telefonista que transmite a imagem da empresa via telefone. Dicas, roteiros, script para telefonista de telemarketing receptivo e ativo e call center.

O atendimento ao cliente por telefone é uma função extremamente séria e tem seus segredos para que seja realizado de forma plena.

Cada vez mais empresas investem muito na capacitação e qualificação dos profissionais de telemarketing que atuam com atendimento telefônico ao público em geral com cursos e treinamentos de especialização. Já algumas pequenas e médias empresas não dão muita atenção a este quesito, podendo passa uma impressão equivocada em relação qualidade do seu atendimento como um todo. Hoje selecionamos dicas incríveis para realizar um bom atendimento telefônico para telefonistas.

1. Seja Profissional
2. Mantenha o tom de voz
3. Jamais grite durante o atendimento
4. Crie ou use um script
5. Não fique em silencio por muito tempo
6. Dispense atividades paralelas
7. Não use expressões inadequadas
8. Apresente-se corretamente
9. Anote os tópicos da conversa
10. Tenha paciência

Extras:

► Mantenha a linha disponível
► Atenda a Ligação imediatamente

A função da telefonista é atender e efetuar as chamadas telefônicas e direcionar ligações aos setores e pessoas solicitadas. Boa Comunicação, boa dicção, um tom de voz agradável e paciente são predicados de um profissional (a) de atendimento telefônico.

Não é aconselhável o acumulo de funções para a telefonista, pois em muitos casos compromete o desempenho da função. Um exemplo típico é a figura da telefonista/ recepcionista. Onde a mesma pessoa que atende as pessoas no balcão e a mesma que atende as ligações. Por mais habilidosa que seja a pessoa alguma das tarefas será prejudicada.

Caso grave, e que afeta diretamente na qualidade do atendimento ao telefone é triplo acumulo de função, como telefonista/ recepcionista/ secretária. Neste caso (que não é raro) o objetivo principal da telefonista se perde completamente, prejudicando seriamente sua função principal que é atender ao telefone e pode passar uma impressão ruim sobre a empresa.

Para evitar maiores desgastes, até mesmos judiciais, reclamações e desvio dos objetivos de sua empresa é preciso orientar a telefonista como atender bem um cliente ao telefone e se for o caso; capacita-los com cursos na área telefonia, telemarketing ativo e receptivo, dando-lhes recursos necessários para efetuar um bom atendimento telefônico ao consumidor/ cliente e atingir os objetivos e metas da empresa.

Gostou das nossas dicas? Compartilhe e deixe seu comentário!

10 dicas e habilidades fundamentais para recepcionistas

10 dicas para recepcionistas

As atividades de uma recepcionista como o bom atendimento aos visitantes com qualidade é fundamental para a primeira impressão do cliente, afinal de contas, este será o primeiro contato com a empresa e é fundamental garantir que a experiência seja positiva e agradável. Atender bem é um diferencial e requer comportamentos adequados para ser colocado em prática.

10 dicas para recepcionistas

 

Pensando nisso reunimos nesta matéria algumas dicas sobre recepção e atendimento aos clientes. Confira a seguir!

1 – Organização

Geralmente, por estar na linha de frente da empresa, os recepcionistas são responsáveis por absorver grande parte das informações que chegam. Diante desse compromisso, é essencial que o profissional seja organizado e consiga transmitir todos os comunicados para cada área determinada.

2 – Simpatia

Outro ponto importante para aqueles que recebem as pessoas em nome da instituição é a simpatia. Sim, existem dias que nada vai bem e não queremos dar “bom dia” para ninguém. No entanto, essa não é uma opção para os recepcionistas. Eles carregam a missão de tratar bem

aqueles que chegam, por isso, precisam estar dispostos até nos piores momentos.

3 – Atenção

Essa é uma profissão que exige do empregado enorme concentração. Irão surgir diversas demandas e muitas ao mesmo tempo. Dessa maneira, é preciso estar atento para não perder uma informação e conseguir conciliar todas ao mesmo tempo.

4 – Proatividade

Da mesma maneira que existem dias lotados e com muita demanda, também terão dias parados. A proatividade é fundamental para qualquer área no mercado de trabalho, inclusive para os recepcionistas. Desde o momento em que irá atender alguém que esteja esperando, até buscar contato com demais clientes e ajudar na comunicação da empresa.

5 – Paciência

Mesmo com todas as habilidades ditas anteriormente, haverá dias em que nada irá funcionar. Contudo, uma competência fundamental é a paciência. Manter o controle com diversas informações ao mesmo tempo e lidar com pessoas mal educadas ou de mau humor torna este um quesito muito importante.

 

6 –  Compreenda o que significa atender bem

O bom atendimento depende sempre da visão do cliente, pois é o elemento que é impactado diretamente. Muitas vezes, um erro na primeira comunicação é responsável por fechar as portas para o que poderia ser uma boa oportunidade de negócio.

 

Por isso, esteja consciente de que o público busca a sua empresa com uma demanda para a qual está em busca de uma solução. Desse modo, é importante compreender qual é o seu problema para direcionar o seu atendimento para o departamento ou colaborador adequado.

 

O primeiro contato nem sempre resultará em um novo cliente. O visitante pode estar apenas realizando pesquisas no mercado ou informando-se sobre os produtos e serviços que a sua empresa oferece. Esse é o momento em que o atendimento atua para causar uma impressão positiva e criar a possibilidade de novas visitas.

 

7 – Saiba como receber os clientes

Em um primeiro momento, é importante salientar para seu recepcionista que ele não deve fazer distinção baseando-se em prejulgamentos. É imprescindível atender bem, independentemente de como o cliente ou visitante se vista, fale ou se comporte.

 

Sorriso satisfatório no rosto não pode faltar, bem como um cumprimento educado e profissional. Lembre-o de que clientes detestam esperar. Mesmo que o recepcionista esteja ocupado, ele deve, ao menos, dizer algo como “Olá, tudo bem? Se importa de esperar um minuto? Já vou atendê-lo”.

 

8 – Ouça os clientes e desenvolva a empatia

Nem sempre o cliente tem razão, mas, até nesses casos, precisa receber a devida atenção. Às vezes, apenas ser ouvido, respondido e bem tratado é o bastante para acalmá-lo. Devem ser feitas perguntas, demonstrando genuíno interesse por ele.

 

O feedback que sua empresa recebe de um consumidor deve ser levado em consideração, sempre, e cada necessidade e opinião examinada atentamente. Insights significativos surgem de situações assim. Desenvolva a empatia em sua equipe, pois isso faz muita diferença na recepção e atendimento.

 

9 – Informe e oriente o público corretamente

Seus funcionários conhecem bem a sua empresa? Isso é muito importante. O seu recepcionista, vendedor ou atendente entendem dos processos e procedimentos do seu negócio para estar ali, sendo, em muitos casos, a primeira impressão do seu possível cliente?

 

Se a resposta for não, talvez não seja culpa dele. Treine seu funcionário e o faça colocar a mão na massa para adquirir os conhecimentos necessários e estar preparado para sanar qualquer dúvida que seu cliente ou visitante possa ter.

 

10 – Comunique-se de maneira positiva

É importante manter uma postura cordial e profissional. Saber o jeito adequado de se comunicar, utilizando os pronomes de tratamento corretamente e evitando gírias, é o

mínimo que um consumidor ou visitante espera do seu recepcionista.

A sua forma de falar e expressar são grandes reveladores dos seus sentimentos. Jamais altere o tom de voz ou permita que as suas emoções saiam do controle. Falar de maneira clara, em um tom agradável e de maneira natural é o recomendável.

 

Atenção, cortesia, e agilidade são fatores fundamentais que devem ser observados tanto pela equipe de atendimento quanto pelos gestores responsáveis. Tendo em vista a relevância desse setor para a empresa, é importante saber como selecioná-lo da melhor maneira possível.

 

Encontre serviços especializados para condomínio na Impacto Facilities

Grupo Impacto Facilities

(31) 3324 4746
Avenida Assis Chateaubriand, 273. Bairro Floresta – Belo Horizonte/MG

Dedetização em condomínios: Como funciona e de quanto em quanto tempo devo contratar?

No Brasil não existem leis federais que regulamentem o controle de pragas em condomínios e apartamentos, devido à sua importância na sociedade, tem se debatido muito sobre as leis municipais e estaduais que regularizem essa situação.

De acordo com as diretrizes da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o controle integrado de pragas deve ser realizado mensalmente.

Porém, há um consenso no mercado, que também afirma que o atendimento deve ser realizado no mínimo a cada 6 meses. No entanto, a frequência do controle de pragas em apartamentos pode ser afetada por outros aspectos importantes, como a proximidade de riachos e espaços abertos e o tamanho dos edifícios.

Para garantir a segurança e tranquilidade de moradores e profissionais que circulam em condomínios residenciais e comerciais, é necessário consultar uma dedetizadora especializada.

Dessa forma, pode-se identificar a presença de possíveis focos de infestação, traçando estratégias de combate mais efetivas. Além disso, a partir dessa ação é possível regulamentar a frequência ideal para a manutenção preventiva do controle integrado de pragas do ambiente.

A dedetização em condomínios é caracterizada pelo uso de barreiras físicas em conjunto com a aplicação de produtos químicos, que visam eliminar e impedir o acesso de pragas no local. Em função disso, é de suma importância que o serviço seja realizado apenas por profissionais qualificados.

Visto que, tal aplicação requer um conjunto de técnicas e habilidades específicas para garantir uma boa eficiência e a segurança de todos no local.

E diante disso, esse serviço jamais deve ser realizado por conta própria, isto é, por zeladores, porteiros ou pelo próprio síndico.

Por fim, recomenda-se que durante a aplicação dos produtos químicos, somente os técnicos enviados pela empresa responsável pelo serviço, podem permanecer no local. Portanto, moradores, colaboradores e animais domésticos, devem ser orientados a permanecerem dentro dos apartamentos. Afinal, se inalado, o veneno pode causar danos à saúde.

Para assegurar que o serviço seja realizado com total segurança, recomenda-se ainda, que o síndico contrate uma dedetizadora que ofereça qualificação profissional e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para seus funcionários. Dessa forma, todo e qualquer procedimento necessário dentro do condomínio, será realizado com tranquilidade e eficiência.

Encontre serviços especializados para condomínio na Impacto Facilities

Grupo Impacto Facilities

(31) 3324 4746
Avenida Assis Chateaubriand, 273. Bairro Floresta – Belo Horizonte/MG

Posturas que zeladores e porteiros devem ter!

A fim do Grupo Impacto facilitar a comunicação entre o administrador da propriedade e os funcionários do apartamento, ambas as partes devem estar sempre cientes de certas regras e atitudes.

Simples e objetivas, elas podem ser impressas ou baixadas por download (veja abaixo) e até adaptadas à realidade do seu condomínio.

Fixe-as em locais estratégicos, como guaritas, salas de materiais de limpeza e em áreas comuns aos funcionários.

Cartilha 01 – Zelador

Caro profissional, Para a elaboração de um bom trabalho em nosso condomínio, algumas informações devem estar no seu dia-a-dia. Abaixo estão 10 dicas e lembretes que vão lhe ajudar a melhorar seu trabalho e manter sua qualidade.

  1. Cumprimente sempre seus colegas de trabalho e moradores do condomínio.
  2. Uma boa aparência contribui para um ambiente de trabalho harmônico, por isso, esteja sempre bem vestido e limpo.
  3. Mantenha-se sempre informado sobre os trabalhos que são desenvolvidos por outros funcionários do condomínio.
  4. Para melhor gerenciar os trabalhos, tenha total domínio das funções, sabendo até executá-las. Isso ajudará a identificar erros e corrigi-los.
  5. Mais importante do que apontar um erro é apresentar a solução para ele.
  6. Pergunte aos moradores do condomínio quanto à qualidade dos serviços prestados por você e sua equipe.
  7. Incentive a revelação do erro por parte dos funcionários, e sempre discuta sobre eles para que não ocorram novamente.
  8. Procure ser um profissional diferenciado. Para isso, mantenha-se sempre bem informado e procure cursos que possam complementar seu trabalho.
  9. Tenha sempre à mão os manuais e certificados dos produtos utilizados no condomínio e de elevadores e bombas de piscina, por exemplo. Eles possuem informações importantes para sua manutenção.
  10. Procure sempre manter a equipe de funcionários integrada e com bom relacionamento. O ambiente de trabalho é fundamental para a elaboração de bons serviços.

Cartilha 02 – Porteiro

Caro profissional, Para a elaboração de um bom trabalho  em nosso condomínio, algumas informações devem estar no seu dia-a-dia. Abaixo estão 11 dicas e lembretes que vão lhe ajudar a melhorar seu trabalho e manter sua qualidade.

  1. Cumprimente sempre seus colegas de trabalho e moradores do condomínio.
  2. Uma boa aparência contribui para um ambiente de trabalho harmônico, por isso, esteja sempre bem vestido e limpo.
  3. As regras de segurança devem ser cumpridas de maneira rígida. Desobedecê-las pode colocar a vida dos moradores e funcionários em risco.
  4. Qualquer abordagem deve ser feita com delicadeza e educação.
  5. Não abra exceções quanto à entrada no condomínio e sempre identifique as entradas e saídas de visitantes.
  6. Fique atento ás movimentações externas, principalmente quando um funcionário do condomínio faz serviços externos.
  7. Não comente sobre a rotina do condomínio nem mesmo com conhecidos. A discrição é também um item de segurança.
  8. Sempre que cometer um erro, não tenha medo de comunicá-lo e discutir o que levou a ele com seu gestor.
  9. Pessoas estranhas e que não são funcionárias não podem ter acesso à guarita da portaria.
  10. Identifique sempre um visitante com um crachá, se possível, além de anotar todos os seus dados. Parte da segurança está em proporcionar essa sensação aos moradores.
  11. Os portões de segurança não devem ser ignorados. Use-os de acordo com as regras de segurança estabelecidas.

Cartilha 03 – Auxiliar de Limpeza

Caro profissional, para a elaboração de um bom trabalho  em nosso condomínio, algumas informações devem estar no seu dia-a-dia. Abaixo estão algumas dicas e lembretes que vão lhe ajudar a melhorar seu trabalho e manter sua qualidade.

  1. Cumprimente sempre seus colegas de trabalho e moradores do condomínio.
  2. Uma boa aparência contribui para um ambiente de trabalho harmônico, por isso, esteja sempre bem vestido e limpo.
  3. A limpeza diz muito sobre um ambiente, por isso, nunca se esqueça que seu trabalho é o cartão de visitas do condomínio.
  4. Mantenha uma rotina de trabalho para que não se esqueça de pequenos detalhes no dia-a-dia
  5. Faça uma lista dos produtos de limpeza específicos e separe-os dos demais na dispensa. Isso evitará o uso indevido.
  6. O bom profissional se destaca nos detalhes, por isso, fique atento ao trabalho que executa.
  7. Erros acontecem e devem ser encarados como uma indicação do que deve ser mudado ou de onde há falhas. Por isso, não tenha medo de revelá-los e discutir obre isso com seu gestor.
  8. Não comente sobre a rotina do condomínio com estranhos.
  9. Quando for trabalhar do lado de fora do condomínio, avise o porteiro para que fique atento e evite a ação de bandidos.
  10. Use sempre luvas e outros artigos de segurança para evitar que produtos mais fortes façam mal a sua saúde.
  11. Não se esqueça de identificar as áreas molhadas ou com produtos escorregadios, o que evitará muitos acidentes.

Dicas sobre jardinagem para ajudar suas plantas ficarem lindas!

Entre as atividades essenciais para manter condomínios com um aspecto de limpeza, cuidado e beleza, está a jardinagem. Uma área verde conservada traz um aspecto agradável, além de a natureza oferecer uma sensação de bem-estar.

Que tal algumas dicas de como fazer a gestão desses espaços para que fiquem sempre belos e com a manutenção em dia?

 

Defina a periodicidade da manutenção

O primeiro passo para manter a jardinagem em dia deve ser o síndico (a) e outros responsáveis, juntamente com a empresa ou profissionais contratados, definirem qual será a periodicidade da manutenção das áreas verdes.

Essa está relacionada com o tamanho do espaço, as espécies que o compõe, o investimento e o tempo que será necessário para manter os jardins sempre em ordem.

Por isso, no momento de começar o plantio nos ambientes, é importante levar em consideração esses aspectos, pois dependendo deles é que se definirá a manutenção necessária.

 

Invista em uma rega adequada

As áreas verdes dependem, em grande parte, de uma rega periódica de acordo a espécie, para se manterem belas e saudáveis. E, portanto, em relação à jardinagem, essa é uma das atividades que devem ter prioridade e observância constante.

Vale analisar o comportamento das plantas e também levar em consideração as estações do ano, já que no verão elas necessitam de mais água do que no inverno e vice versa.

 

Atente para a escolha das espécies

As espécies que compõe a jardinagem e o paisagismo de condomínios não devem ser escolhidas de forma aleatória. Isso porque devem ser considerados alguns aspectos, como por exemplo, o tamanho dos espaços e se as raízes não poderão danificá-lo, ou o quanto de luz uma planta precisa para ficar saudável, entre outros detalhes importantes.

 

Contrate profissionais especializados

No momento de criar o paisagismo ou fazer a jardinagem é importante contar com quem entende do assunto para que não haja prejuízos financeiros e as áreas verdes fiquem realmente belas e bem conservadas sempre.

 

A planta precisa de Sol, Sombra ou Meia-Sombra?

É comum as pessoas não saberem exatamente o que significava Sol pleno, sombra ou meia-sombra e por isso ao deixar a planta em local não indicado elas podem morrer ou não ficarem lindas. A seguir mostraremos o que significa cada termo e como especificar as plantas para seu jardim seguindo a indicação. As dicas valem tanto para canteiros quanto para vasos.

 

 

 

Meia-sombra

As plantas desta categoria precisam de apenas 3 horas de Sol por dia. O resto do tempo podem ficar sob luz indireta, que continuarão se desenvolvendo bem. A Clívia é uma planta que representa bem as plantas de meia-sombra.

 

Sol Pleno

Se enquadram as plantas que precisam de no mínimo 7 horas de sol direto por dia sobre elas. Para estas plantas quanto mais sol, melhor, não há restrição. Os pomares, hortas, e forrações com cor mais intensa, são exemplos de vegetação que precisam de sol pleno.

 

Sombra:

As plantas de sombra precisam de ambientes de pouca luz e sem incidência direta de sol, caso isso não aconteça, se elas não desenvolverem bem, existem grandes chances de contraírem fungos, doenças ou simplesmente secarem se ficarem expostas ao sol direto. As samambaias são exemplos de plantas de sombra.

 

Está buscando serviços de jardinagem?

Nossos jardineiros são preparados para fazerem a conservação, manutenção e restauração das áreas verdes, assegurando que os jardins estejam sempre com as plantas bem cuidadas e saudáveis!

 

Além disso, nossos funcionários são treinados para trabalharem com toda discrição e higiene esperada.

 

Impacto Facilities: Facilitando a sua vida!

 

E aí o que achou das nossas dicas? Queremos saber, comente, curta e compartilhe este conteúdo

Pets em condomínios: O que é permitido e quais são as restrições?

Essa é uma das dúvidas mais comuns entre os visitantes e até mesmo para os moradores dos condomínios, como se portar com os animais, sendo proprietário ou visitantes no condomínio?

Grande parte das desavenças e reclamações em condomínios ocorre por causa dos animais de estimação, seja por causa dos ruídos, odores, porte dos animais, entre outros.

Selecionamos algumas dicas importantes para esclarecer as principais dúvidas sobre Pets em condomínios, acompanhe!

 

O que diz a lei sobre animais em condomínio

Em dezembro de 2019 o STJ (Supremo Tribunal da Justiça) estabeleceu que o condomínio não pode impedir que um condômino possua um animal de estimação.

Contudo, existem casos em que a convivência com determinado animal passa a ser inviável. Em virtude disso, foi determinando que cada caso seja analisado individualmente junto da justiça para uma eventual tomada de decisão.

Nenhum regulamento, entretanto, impede que os moradores busquem apoio judicial para rebater decisões. Confira o que diz o Código Civil e saiba como lidar com os conflitos!

 

Condomínios podem proibir?

Não. Animais de estimação não são proibidos em condomínios. Eles também não podem restringir espécies permitidas ou proibidas, nem podem exigir que os animais sejam carregados nas coxas em locais públicos. Pode ser considerado como uma proibição de espécies específicas, porque espécies maiores de animais não podem ser transportadas e visitas a animais não podem ser proibidas.

 

O que o condomínio pode restringir?

Para que se entre em comum acordo com todos os moradores, o condomínio deve incluir, no regimento interno, algumas restrições para quem tem pets. O primeiro ponto que deve ser levado em consideração é que o animal não apresente risco a saúde e a segurança do condomínio.

Além disso, é possível que seja definido que os animais não podem circular em áreas comuns, devem circular com guia ou coleiras e não devem deixar cheiro. Condôminos que possuem animais que fazem muito barulho também podem ser notificados.

 

E o proprietário? Tem direito a que?

O proprietário do imóvel, quando esse é alugado, pode fazer qualquer restrição. Inclusive proibir a posse de animais de estimação em seu imóvel. Por isso, é sempre importante acordar e conversar com o proprietário antes de alugar o imóvel.

 

O que fazer se os moradores não respeitarem o regimento?

Caso os moradores não respeitem as restrições, seja as condominiais ou as do proprietário, multas podem ser aplicadas.

 

Aplicação de advertências e multas

Dos moradores que transitam com seus animais em áreas proibidas aos que, seguidamente, deixam seus animais latindo o dia todo sozinhos na unidade, o ideal é que quem se sinta incomodado pelas infrações ao regulamento interno faça um registro no livro de ocorrências ou site do condomínio.

“É com esses dados que o síndico consegue se balizar para ir conversar com o dono do animal, depois mandar uma notificação formal, e então, multar da maneira que o regulamento interno mandar”, explica José Roberto Iampolsky, da administradora Paris.

Mesmo sem esses registros, o síndico pode (e deve) multar nos ditames do regulamento interno quando algo sair do que foi combinado previamente, como passeios em locais proibidos para animais ou dejetos nas áreas comuns.

 

Casos extremos

Para lidar com os latidos excessivos, a dica de Vania dal Maso é, esgotadas as etapas de conversa e multa, fazer uma denúncia em ONGS de proteção aos animais.

“Entendo que o animal que passa o dia todo sozinho e latindo não está feliz. É uma maneira até do morador de conscientizar de que seu bichinho precisa de mais atenção e cuidados”, assinala.

 

Focinheiras

Dependendo da região, algumas raças consideradas mais agressivas são obrigadas a usar enforcador e focinheira. No estado de São Paulo, por exemplo, a Lei estadual nº 11.531, é aplicada às raças Mastim Napolitano, Pit Bull, Rottweiler e American Staffordshire Terrie.

“Caso o dono do animal não siga a lei, além das medidas do condomínio, se alguém se sentir incomodado pode inclusive chamar a polícia e registrar um boletim de ocorrência”, ressalta Vania.

 

Principais erros do síndico

Um problema que muitos síndicos enfrentam é a falta de conhecimento da legislação, como nos pontos referentes à proibição de animais no condomínio, ou a obrigação de carregar o pet dentro do condomínio.

O síndico também erra quando deixa o bom senso de lado e intervem quando há apenas reclamação de um morador.

“Se apenas um estiver reclamando de barulho, por exemplo, o ideal é não intervir. O síndico deve estar sempre a serviço dos interesses da coletividade e não de um morador especificamente”, argumenta Rodrigo Karpat.

Ao receber a reclamação de um morador, o gestor pode, por exemplo, pedir que a situação seja relatada no livro de ocorrências, para que assim, esteja municiado de mais argumentos ao abordar o dono no pet em questão.

Outro problema comum envolvendo animais é quando a regra não é a mesma para todos – permitindo, por exemplo, que os animais de pequeno porte circulem sem coleira e guia, e obrigando os cães maiores a usarem os equipamentos.

 

Como melhorar a convivência

Área especial: Alguns condomínios possuem ambientes específicos para os pets. Essa é uma maneira de melhorar a convivência dos condôminos, já que os que possuem pets tem um lugar para “distração” e não circula em áreas comuns.

Em condomínios onde haja área, pode-se fazer um local específico para os cães passearem, o chamado play dogs. Muitos condomínios novos, com mais áreas comuns, já contam com esse espaço ao serem entregues.

Passeador de cães: O síndico pode realizar a contratação de um profissional que se responsabilize por levar os cães dos condôminos para passear.

Outra boa opção para aliviar o estresse dos bichinhos é contratar passeadores de cães. O síndico pode pedir a indicação de profissionais que já atuem no condomínio e deixar o contato no quadro de avisos.

Lixeira ao lado do portão de entrada: Essa uma ótima opção para que outros condôminos não reclamem do cheiro. Essa ação facilita, inclusive para os donos dos pets.

Fonte: V-Guard / Camara

Dicas indispensáveis para limpeza em condomínios

A limpeza do condomínio é uma das pautas mais importantes no dia a dia dos moradores e visitantes. Afinal de contas, todos nós gostamos de limpeza e organização. Um condomínio sem a limpeza correta e profissional pode prejudicar seriamente o bem-estar dos moradores, visitas e funcionários.

 

Veja Também: Limpeza Pós Obra

 

Contudo, ainda existem muitas dúvidas recorrentes sobre como fazer a limpeza devida em condomínio. Para facilitar o entendimento do síndico, moradores e visitantes, elaboramos este artigo com 10 dicas infalíveis para garantir que a limpeza do condomínio fique impecável. Continue lendo, confira:

 

Quais são os tipos de limpeza em condomínio?

Inicialmente é preciso compreender quais os tipos de limpeza existem para os condomínios. Esse entendimento é importante para organizar todos os tipos de limpeza.

Limpeza de conservação – visa manter o cheiro agradável e a boa aparência do local. Inclui: tirar o pó das superfícies, retirar o lixo e cuidados com o jardim. A limpeza de conservação deve ser administrada conforme as demandas do condomínio.

Limpeza geral – como o nome explica, limpeza geral é quando todo um ambiente passa por uma limpeza completa. É feita nas áreas de maior circulação dentro do condomínio. São elas: elevadores, halls de entrada, portaria, corredores e garagens. Deve ser feita diariamente ou no mínimo uma vez por semana, dependendo do fluxo de pessoas no condomínio.

Limpeza de manutenção – é aquele tipo de limpeza em condomínio que faz parte do calendário de manutenções preventivas. Alguns exemplos são: limpeza da caixa d’água, limpeza e filtragem das piscinas, limpeza e pintura da fachada e dedetizações.

 

Faça uma lista de áreas que devem ser limpadas:

Vá até o condomínio e dê uma volta pelas áreas comuns. Ande pela portaria, guarita dos seguranças, salão de festas, corredores, elevadores, terraço e tudo mais.

Ao observar cada lugar, reflita sobre as seguintes questões:

Esse ambiente é muito movimentado?

Esse espaço é utilizado todos os dias ou apenas nos fins de semana?

Quais partes desse local devem ser limpas?

A partir disso, reflita sobre quais locais precisam passar por limpezas gerais, de conservação ou de manutenção. Aproveite também para ponderar quais são os itens que devem ser limpos em cada local. Por exemplo, a área possui janela de vidro? Corrimãos? Tapetes? E lembre-se, materiais diferentes necessitam de tipos de limpeza diferente.

É interessante envolver o zelador e os demais funcionários do condomínio nessa etapa. Por estarem diariamente atuando no local, eles podem fazer boas considerações.

 

Determine as frequências de limpezas

A frequência de cada limpeza deve ser calculada de acordo com o perfil do condomínio. Condomínios comerciais precisam de cuidados mais frequentes devido à grande quantidade de visitantes. Por outro lado, condomínios menores não precisam de tanto.

Apesar de ser algo particular, preparamos uma lista indicando as frequências de limpezas em condomínio.

 

Devem ser limpos diariamente:

  • Hall de entrada;
  • Portaria;
  • Calçadas;
  • Banheiros;
  • Elevadores;
  • Aparelhos da portaria (interfone, mesa, monitores, computadores)
  • Objetos de decoração (vasos, quadros, etc);
  • Sauna;
  • Academia;
  • Vestiários.

 

 

 

Devem ser limpos semanalmente:

  • Quadras esportivas;
  • Churrasqueiras;
  • Salão de jogos;
  • Caixas de hidrantes e extintores;
  • Móveis das áreas comuns;
  • Playground.

 

 

Devem ser limpos quinzenalmente:

 

  • Vidros
  • Espelhos
  • Pisos de madeira;
  • Paredes;
  • Sala de máquinas;

 

 

Devem ser limpos mensalmente:

  • Garagens;
  • Salão de festas;
  • Janelas externas;
  • Grades do condomínio;
  • Escadas de emergência.

 

 

Crie uma rotina de limpeza para o condomínio

Normalmente a rotina de limpeza determina quais áreas devem ser limpas em determinados dias da semana. Para criá-la, deve-se levar em consideração:

► As escalas e horários de trabalho da equipe;

► Os horários de menor movimentação no condomínio;

► Quais locais devem ser limpos diariamente, semanal, quinzenal e mensalmente.

Com isso, a rotina funciona como uma espécie de cronograma de limpeza. Assim, é possível orientar a equipe de funcionários durante a sua agenda de trabalho.

 

Elabore uma checklist de limpeza do condomínio

Para facilitar ainda mais o trabalho da equipe de faxina, o síndico pode criar uma checklist de limpeza do condomínio. Em outras palavras, isso significa transformar o cronograma de limpeza em uma lista de afazeres.

 

Por exemplo, a checklist de limpeza do hall de entrada pode ser da seguinte forma:

 

Passar aspirador de pó;

Passar pano nos espelhos;

Lavar o chão;

Encerar piso;

Tirar o pó dos móveis;

Limpar portas;

Lavar os tapetes;

Limpar as janelas (dentro e fora).

 

O síndico tem que criar listas para cada uma das áreas comuns do condomínio, levando em consideração as devidas especificidades. Essa checklist pode fazer parte de uma planilha de limpeza de condomínio que deve ser gerenciada pelo zelador ou gerente predial.

 

Crie regras de limpeza de condomínio

Para manter um padrão de qualidade, é preciso que o condomínio possua regras de limpeza. Deste modo é possível garantir que a higiene do condomínio sempre esteja de acordo com o esperado.

 

Isso também facilita no treinamento dos novos funcionários, que devem sempre obedecer às regras. Assim sendo, essas normas devem ser repassadas ao zelador e à equipe de limpeza.

 

Contrate uma conservadora experiente

Não adianta ter um bom planejamento e deixar de fora o principal aspecto operacional, contrate uma conservadora com experiência.O condomínio deve investir em mão de obra devidamente qualificada e treinada.

O número de contratados varia de acordo com o tamanho e as características do condomínio. Quanto maior for o empreendimento, maior deve ser a equipe de limpeza. Especialmente se há uma série de áreas comuns como piscina, salões de festa, saunas, playgrounds, etc.

É comum que condomínios contem com o serviço de empresas terceirizadas para captar mão de obra. Essa prática reduz as responsabilidades do síndico com contratações. Além disso, também diminui os custos trabalhistas para o condomínio.

Via: townsq

Principais vantagens de terceirizar serviços em condomínios, confira!

Executar manutenções ou reformas em condomínios é sempre um assunto bastante discutido, principalmente porque atinge o bolso de todos. Com o intuito de ajudar em ideias, desenvolvemos um texto falando sobre as vantagens que terceirizar serviços no condomínio pode oferecer.

Reunimos dicas preciosas para o seu imóvel, que irão te ajudar a conquistar seus objetivos, portanto, continue lendo e não perca.

Redução de gastos

Ao contrário do que muitos pensam, terceirizar serviços podem gerar uma redução significativa nos custos, já que a jornada de trabalho dos colaboradores será otimizada e, via de consequência, pode acarretar a redução da equipe.

Qualidade garantida

Empresas que trabalham com terceirização sempre executam trabalhos com excelência e qualidade, pois executam serviços mais específicos.

Ou seja, cada funcionário recebe treinamentos assertivos, possibilitando um serviço com qualidade maior.

Reposição rápida de pessoal

Quando algum funcionário de confiança falta, ou por alguma outra razão precisa se afastar do serviço, o condomínio precisa achar soluções rápidas para evitar maiores problemas.
E quando você escolhe a terceirização, é possível garantir uma troca rápida, sem perca de eficiência, até porque sempre um reserva técnica a disposição.

Diminuição dos riscos com processos trabalhistas

A terceirização de serviços traz muitas vantagens ao condomínios em relação à legislação trabalhista. Quando os edifícios contratam um serviço terceirizado, automaticamente, não precisam mais se preocupar com a gestão da equipe e com riscos de processos trabalhistas, um vez que o responsável direto passa a ser a empresa contratada.

Treinamentos, recolhimentos de encargos sociais, pagamentos, equipamentos de segurança, entre outros, ficam em total responsabilidade da mesma. Por isso, ao contratar uma empresa terceirizada para o serviço de portaria, por exemplo, é preciso ter a certeza que esta age de acordo com a legislação trabalhista vigente.

Diminuição de responsabilidades

Escalas de funcionários, quadro de horários, reuniões e coisas afins, serão deixadas de lado quando uma empresa for terceirizada.

Isso porque é ela quem contratada e arca com todos esses tramites e processos. É de total responsabilidade dela o controle dos funcionário.

Tempo sobrando para outras funções

Como já foi dito anteriormente, a empresa terceirizada cuida de tudo relacionado aos seus funcionários. Isso libera bastante tempo na agenda do sindico ou responsável pelo condomínio, fazendo com que o mesmo tenha tempo para se dedicar a outras obrigações.

De fato, a terceirização de serviços no condomínio parece uma ótima ideia já que agrega eficiência, conforto e responsabilidade para todos os moradores do imóvel.

Esse conteúdo foi útil para você? Se sim, salve, compartilhe com seus amigos e conhecidos!

Porteiro de edifícios: Qual sua formação, sua função, e quanto ganham os porteiros de edifícios?

Porteiro de edifícios: Qual sua formação, sua função, e quanto ganham os porteiros de edifícios?

O porteiro de edifício trabalha em edifícios residenciais, comerciais e industriais, hotéis, locais de diversão. Eles também podem ser empregados de empresas terceirizadas, como no nosso caso.

Qual a função dos porteiros de edifícios?

Os porteiros de edifícios cuidam da guarda do patrimônio de fábricas, armazéns, residências, estacionamentos, edifícios públicos, privados e outros estabelecimentos, percorrendo-os sistematicamente e inspecionando suas dependências, para evitar incêndios, roubos, entrada de pessoas estranhas e outras anormalidades; controlam fluxo de pessoas, identificando, orientando e encaminhando-as para os lugares desejados; recebem hóspedes em hotéis; escoltam pessoas e mercadorias; fazem manutenções simples nos locais de trabalho.

Qual é a formação e experiência necessárias para os Porteiros de Edifícios?

O acesso a essas ocupações requer ensino fundamental. Ter informática básica também é um requisito que tem sido solicitado aos candidatos. Além disso, o Grupo Impacto oferece cursos de capacitação específico para estes profissionais.

Quanto ganha o porteiro de edifícios?

O profissional no cargo de Porteiro de Edifícios CBO 5174-10 trabalhando no Brasil, possui como salário base da categoria, R$ 1.589,34 para uma jornada de trabalho de 12×36 horas. Além deste valor, outros benefícios devem ser adicionados, como ticket alimentação, etc.

Limpeza Pós Obra: O que é e como funciona?

limpeza pos obra bh

A limpeza “Pós-obra” é o tipo de limpeza mais profunda do ambiente, e para isso, utiliza-se produtos, utensílios e maquinários profissionais de alta tecnologia e mão de obra qualificada Trabalhando com a máxima atenção aos detalhes e técnicas específicas são aplicadas na remoção dos detritos residuais de obras.

Principais dicas para realizar a limpeza pós obra com excelência:

► Abra espaço para a limpeza.

► Faça uma vistoria detalhada e planeje a limpeza.

► Providencie os materiais e produtos necessários.

► Contrate uma empresa especializada em Limpeza Pós Obra!

O Grupo Impacto Facilities é especializada em segurança, conservação, manutenção e limpeza de edifícios de alto padrão e grandes empreendimentos comerciais. Líder no segmento na Grande BH, o Grupo Impacto Facilities utiliza tecnologia e mão de obra altamente especializada para oferecer o padrão de qualidade exigido em um mercado tão concorrido.

Fundada em 1996, o Grupo Impacto Facilities tornou-se especialista em prestação de serviços de limpeza, manutenção e segurança de empreendimentos de alto luxo. Desde então, a sofisticação, o comprometimento e a excelência, tornaram-se palavras chaves do negócio.

O investimento constante em seleção, capacitação e treinamento de funcionários, permitem à empresa oferecer um nível de atendimento superior com alto índice de personalização, sendo essa a nossa principal missão.

 

Outros Serviços:

Grupo Impacto Facilities
📞 (31) 3324 4746
📍 Avenida Assis Chateaubriand, 273. Bairro Floresta – Belo Horizonte/MG